sexta-feira, 29 de agosto de 2014

XILOGRAVURA

XILOGRAVURA



xilogravura é um dos mais antigos métodos de impressão da história da humanidade. É basicamente um carimbo, feito de madeira. Entalha-se a superfície da madeira com o motivo desejado (ou com o texto desejado) e pinta-se a imagem que, naturalmente após o entalhe, ficará em relevo. Essa imagem, pintada, é transferida para o papel. Esta antiga técnica era muito usada no Egito e na China desde a antiguidade. Com o tempo, a xilogravura passou a ser, também, muito comum na literatura de Cordel. A xilogravura foi ofuscada pela prensa que facilitava a impressão de imagens e textos combinados. Hoje, a xilogravura é vista como uma arte ancestral e riquíssima em história e tradição, afinal, foi parte essencial do desenvolvimento da comunicação junto à nossa história.

© 
http://obviousmag.org/archives/2014/02/tecnica_de_como_fazer_xilogravura_com_isopor.html

RIO AMAZONAS - GEOGRAFIA



O RIO AMAZONAS


A nascente do rio Amazonas está localizada no Peru, na cordilheira dos Andes. O rio Amazonas está presente nos países do Peru, Colômbia e Brasil, em sua bacia hidrográfica estão também os países da Bolívia, Equador, Venezuela e Guiana.
 O rio nasce com o nome de Vilcanota e recebe depois as denominações de Uicaiali, Urubamba e Marañón. Quando entra no Brasil, torna-se Solimões, até o encontro com o rio Negro, próximo de Manaus. Desse ponto até a foz recebe o nome de Amazonas.
O Rio Amazonas possui vários afluentes. No território brasileiro, os principais afluentes são os rios: Madeira, Javari, Juruá, Purus, Madeira, Tapajós, Xingu, Içá, Japurá, Negro, Trombetas, Paru e Jarí.
O encontro do rio Negro com o rio Solimões proporciona uma imagem de grande beleza, isso porque os rios possuem águas de coloração distinta, o rio Negro apresenta águas escuras em razão da dissolução de ácido húmico, e o Solimões, águas claras; ao se encontrarem, suas respectivas águas não se misturam.
A superfície na qual o rio percorre é extremamente plana, aspecto que resulta em um grande volume de água. As águas do rio se devem ao degelo da Cordilheira, onde está a sua nascente, somado às abundantes chuvas. Além disso, o rio recebe água de vários afluentes.
O Rio Amazonas percorre mais de 3 mil quilômetros no território brasileiro, estando presente nos estados do Amazonas e Pará.
O Rio Amazonas tem grande potencial para navegação, visto que ele é um rio típico de planície, ou seja, apresenta pouco desnível. Com relação ao potencial energético, o Rio Amazonas possui alguns pontos estratégicos para a construção de usinas hidrelétricas, como, por exemplo, nos afluentes Tapajós e Xingu (onde está instalada a usina de São Félix)

O rio deságua no Oceano Atlântico após entrar em território brasileiro e se unir com o Rio Tocantins ao norte do país, especificadamente no Delta do Amazonas.



quarta-feira, 20 de agosto de 2014