segunda-feira, 14 de abril de 2014

domingo, 13 de abril de 2014

CAÇAPAVA - 159 ANOS




bandeira.jpg

Em 1705, o fazendeiro paulista Jorge Dias Velho, casado com Sebastiana de Unhate, construiu a capela de louvor a Nossa Senhora da Ajuda no local denominado "cassapaba" (do tupi caassa = mato e paba = clareira, vereda), hoje conhecido como Caçapava Velha -- considerada a Célula Mater da organização social, política, religiosa e cultural da futura cidade de Caçapava.
Em torno da capela fixaram outros moradores, formando um povoado que, em 1814, foi elevado à freguesia subordinada a Taubaté. Do povoado partiram desbravadores e fundadores de outras cidades.
Dois dos mais conhecidos são: Francisco Barreto Leme do Prado, fundador de Campinas, e capitão Tomé Portes D'el Rei, fundador de São João D'el Rei, em Minas Gerais. Disputas políticas no povoado culminaram, em 1842, com deslocamento de um grupo contrário à situação para um outro sítio alguns quilômetros distantes de Caçapava Velha, em terras doadas pelo fazendeiro coronel João Dias da Cruz Guimarães, onde foi construída uma capela em homenagem a São João Batista.
No novo povoamento, os capitães João Ramos da Silva e João Lopes Moreira, com a colaboração do major Francisco Alves Moreira, deram impulso ao desenvolvimento de Caçapava.
Em 1855 o novo arraial foi elevado à categoria de Vila, elevada à cidade em 1875. A capela de São João Batista passa a ser a Matriz da Paróquia de Nossa Senhora da Ajuda.


Fonte : 
http://www.cacapava.sp.gov.br/portal/
https://www.facebook.com/

quinta-feira, 10 de abril de 2014

terça-feira, 8 de abril de 2014

segunda-feira, 7 de abril de 2014

FILOSOFIA - ATIVIDADE

Atividade de Filosofia


        


Pedro
Céu é para mim onde meu avô mora.
 _____________
Hiago
Céu é uma das coisas bonitas do mundo.
 _____________
Andrew
Tempo é o que acontece depois de agora.
 _____________
Lucas
Escuridão é o lugar onde não se vê nada.
 _____________
Igor Moreira
Tempo  
O futuro precisa de um tempo para chegar.
 _____________
Maria Clara
Escuridão é um lugar sem luz.
 _____________
Felipe
Escuridão é uma tinta preta em volta de tudo.
 _____________

Bianca
Lua é muito chique.
 _____________
Maryna
Adultos são pessoas grandes e responsáveis.
 _____________
Murillo
Tempo serve para fazer uma corrida.
 _____________
Igor Henrique
Universo é um espaço preto cheio de estrelas.
_____________
Bruna
Água é um líquido que passa a sede.
 _____________
Juliana
Universo são voltas e voltas.
 _____________
Kauany
Céu é outra vida.
 _____________
Isadora
Adulto é uma pessoa que toma conta da sua vida sozinha.
 _____________
Grazielle
Dinheiro é o que paga as contas.
 _____________
Mycaella
Guerra é uma luta antiga.
 _____________
Mycaely
Lua é quando o Sol se põe. Aí aparece a Lua e as estrelas.
 _____________

sexta-feira, 4 de abril de 2014

MATEMÁTICA - O QUE É UM POLÍGONO?


Polígonos 
São figuras fechadas, 
formadas por
segmentos de reta, sendo caracterizados pelos seguintes elementos: 
ângulos, vértices,
diagonais e lados.
:
Os polígonos classificam-se em função do número de lados. Abaixo estão os principais polígonos:

NomePolígonoNº de lados
Triângulo3
Quadrilátero4
Pentágono5
Hexágono6
Heptágono7
Octógono8
Decágono10


terça-feira, 1 de abril de 2014

DIA DA MENTIRA - 1º DE ABRIL



Você sabia que o costume de contar mentiras no dia 1º de abril teve sua
origem na França? 
Antigamente, na França, o início do ano 
era comemorado em 1º de abril. Mas, em 1564, o rei francês Carlos IX adotou o calendário gregoriano, e o ano-novo passou a ser festejado em 1º de janeiro.
Imaginem só a confusão! Muitas pessoas não gostaram da mudança de data e continuaram a considerar o 1º de abril como o primeiro dia do ano, mandando convites para festas, votos de felicidades...
Nos anos seguintes, como forma de brincadeira, começaram a surgir nessa data convites para festas que não existiam e falsas mensagens de "Feliz Ano Novo". O costume se espalhou pelo mundo todo e, com o tempo, foram surgindo novas brincadeiras.


Fonte:
http://www.smartkids.com.br/datas-comemorativas/1-abril-dia-da-mentira.html